Wrap-up: Marcha Contra o Fracasso Climático

No dia 12 de Novembro de 2022, marcharam em Lisboa mil pessoas contra o fracasso climático.

Inserida numa quinzena de ações convocada por uma coligação que conta com o apoio de mais de 30 organizações, marcha começou no Campo Pequeno.

Logo desde o início da marcha, as manifestantes gritaram “Mudar o sistema, não o clima” e “Petróleo, gás, carvão; deixar-os no chão”.

Durante a marcha, um grupo de manifestantes do movimento Fim ao Fóssil – Ocupa! entraram num edifício onde o Ministro da Economia e do Mar António Costa e Silva esteve a participar numa conferência como orador, sendo uma das reivindicações desse movimento a demissão do Ministro. Nesse momento, as pessoas fora gritaram “Pelo fim ao fóssil, ocupa”, “Fora Costa e Silva” e “Somos a natureza em auto-defesa”, em solidariedade com a ação.

Houve dois momentos em que a manifestação parou para dar lugar a intervenções pelas ativistas. No primeiro, falaram a Leonor da Ocupa na escola secundária António Arroio, a Catarina da campanha Gás é Andar para Trás e a Ana da Ocupa FLUL. As ativistas explicaram o que entendiam do fracasso climático e porque estavam no movimento. No segundo momento, Ideal da Ocupa FCUL, o André da campanha ATERRA e a Carolina da Climáximo intervieram.

A marcha acabou no Liceu Camões, onde continua a haver uma ocupação pelos alunos da escola.

A coligação Unir Contra o Fracasso Climático convoca uma assembleia aberta para discutir os próximos passos do movimento pela justiça climática.

A assembleia vai ser no fim da quinzena, no dia 19 de novembro, sábado, às 14h00, no Disgraça (Rua da Penha de França 217B, Lisboa).


Fotos: Hugo Paz, Teresa Santos